sábado, 31 de março de 2018

Visitas da Mãe Galinha - Avenida Sushi Café

Avenida Sushi Café


 


Chegámos ao Avenida Sushi Café com as expectativas em alta. Tínhamos ouvido dizer que mais do que uma refeição de comida japonesa, no Avenida era vivida toda uma experiência. Eis o problema: quando nos dizem isto, a expectativa fica tão alta que quase vamos à procura do que nos vai decepcionar... Se aconteceu? Nem por sombras, o chef Daniel Rente e a sua equipa sabem bem o que estão a fazer.

Começar por falar do espaço. Glamoroso, intimista e sofisticado. Com esplanada para os dias de maior calor e uma sala bem acolhedora no interior para os dias de frio e chuva ou em que procuramos um aconchego.

Das primeiras coisas em que reparo: há uma parte do menu que diz "KIDS". Sabem o quanto isso é raro num restaurante de comida japonesa? Se não são pais possivelmente nunca tinham pensado nisso, mas sendo mãe de dois pequenos reguilas estes pormenores não me escapam. Pontos extra!

Escolha da noite: menú de degustação.

O que comemos?

Hammachi sashimi (lírio australiano em sashimi, salada de salicórnia e wakame, vinagre de pesto e sal negro) - começar por dizer que adoro lírio e este estava cortado na perfeição! A frescura era notável à distância e a salada completava o prato de forma perfeita.

 

Himalayan salt rock sashimi (chutoro com cebola caramelizada, kizami wasabi e maracujá) - um prato muito interessante onde as fatias de sashimi vêm em cima de uma pedra de sal rosa dos Himalaias, e são dobradas quando chegam à mesa para que todos os elementos sejam degustados em conjunto. É-nos aconselhado a provar um de imediato e outro um pouco depois, para percebermos o impacto da pedra no sashimi. Delicioso! 






Blue pico sashimi (usuzukuri de peixe dos Açores com sal negro, ensaio de coentros e goma wakame) - aqui fomos também incentivados a experimentar o peixe de duas formas, com e sem molho. Embora tenha gostado sem o molho, quando o adicionámos o prato ganhou toda uma outra dimensão!




Kuru ceviche (ceviche de peixes variados, puré negro de batata doce, rice chips e ikura) - primeira impressão: deixaram queimar o parto! Mas não, a cor intriga mas é apenas tinta de choco. Especial destaque para as folhas que eram deliciosas!!





Waggu truffle (tataki da vaziade waggu com trufa e tempura de shimeji) - é certo e sabido que toda a boa tempura rouba o meu suspiro e acelera o meu coração. Foi o caso. Definitivamente um dos meus pratos preferidos e que deixou saudades. A carne, o cogumelo e a trufa fazem a tríade perfeita... Este definitivamente não podem deixar de provar!



Apple maki (rolo de salmão, camarão em tempura, maçã, açúcar demerara e molho teriyaki). Este talvez tenha sido dos menos preferidos, mas mesmo assim ainda bastante agradável. Mas é que depois do waggu anterior qualquer prato teria dificuldade em destacar-se...




Otsukurin (combinado de sashimi de peixes variados sobre gelo) - peixe fresquíssimo e com apresentação fantástica (como em todos os pratos aliás). 




Tuna foie (gunkan de atum com foie gras e cebola roxa caramelizada) - outro dos meus preferidos. Gostei, gostei, gostei!!




Black cod (bacalhau negro do Alasca com miso, migas de frade e ervilhas de quebrar) - bom, aqui atrevo-me a dizer que foi a surpresa da noite. Bacalhau? Como assim bacalhau? De todos, este foi o prato que mais me surpreendeu pois foi completamente inesperado. Mas que bela surpresa que foi, o bacalhau estava DIVINAL! Outro prato que não podem perder...



E assim chegámos às sobremesas! Provámos quatro diferentes:
Sundae miso (gelado de nata com caramelo de miso, crumble de oreo e biscoito de waffle), que estava para lá de guloso, Kabotcha cheesecake (cheesecake de doce de abóbora e canela com pevides crocantes) que foi uma das melhores sobremesas que já comi nos últimos tempos, Yuzu white rock (panna cotta de yuzu com caldo de yuzu e kumquat) uma panna cotta de textura perfeita e Matchamitsu (tiramisú de chá verde Robin Wood).




A cereja no topo do bolo? A simpatia e eficiência com que fomos atendidos pelo Kiko, que nos foi explicando o que compunha cada prato e nos ia sugerindo como fazer a degustação. A experiência que tivemos nesta noite no Avenida, foi definitivamente engrandecida pela sua competência e cuidado.

Onde fica?

Rua Barata Salgueiro, 28, Avenida da Liberdade, Lisboa.

Avenida SushiCafé Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato


quarta-feira, 28 de março de 2018

Caça aos Ovos Sustentáveis - Quintinha Lidl no Zoo

Caça aos Ovos Sustentáveis - Quintinha Lidl no Zoo





No domingo dia 17 de Março a nossa manhã foi bem diferente e divertida!

Para celebrarmos uma Páscoa mais consciente, a Quintinha do lidl, no Jardim Zoológico de Lisboa, juntou várias famílias onde os ovos e amêndoas de chocolate Favorina foram as estrelas! Porquê? Porque são de origem 100% sustentável!

Tivemos então uma manhã recheada de divertidos jogos pedagógicos na companhia dos animais da Quintinha do Lidl!






Através de uma divertida caça aos ovos, foram oferecendo às crianças umas deliciosas recompensas feitas de chocolate de cacau produzido de forma responsável, com certificação UTZ e Fairtrade (garantias de respeito e preservação do meio ambiente e do combate à exploração da força de trabalho), os da Favorina. Onde podem encontrar estes deliciosos e conscientes chocolates e amêndoas? Nas lojas Lidl claro!




Quando completavam uma actividade, as crianças ganhavam um ovo de chocolate sustentável e viam reforçada a importância da sustentabilidade através de comportamentos que podem integrar no seu dia a dia. O objectivo? Uma geração mais informada e com um estilo de vida mais saudável e responsável.


As actividades passavam por exemplo por:


  • Descobrir qual o peso certo de comida que uma vaca tem de consumir para a produção de 1 litro de leite.

  • Construir óculos mágicos com caixas de ovos.

  • Identificar 3 vegetais na horta portuguesa e aprender a semear.






Após estas actividades que vão de encontro ao compromisso do Lidl Portugal com uma estratégia global de sustentabilidade alimentar, tivemos ainda a oportunidade de visitar o nosso maravilhoso Zoo de Lisboa!

Diversão e aprendizagem no mesmo dia, que podemos pedir mais?



terça-feira, 27 de março de 2018

AÇORDA DE CAMARÃO

AÇORDA DE CAMARÃO



O meu amor por marisco já vem de longe. Conta a minha mãe, que quando estava grávida de mim, era só o que lhe apetecia comer. O meu pai levava-a a uma marisqueira de confiança em Cacilhas, que ainda hoje continuamos a frequentar, e ela lá matava os seus desejos.

O que é certo é que, tendo esse gosto sido transmitido via cordão umbilical ou não, eu adoro marisco e o camarão e a sapateira são sem dúvida os meus eleitos.

Ora, se juntarem a adoração que tenho por marisco ao amor que tenho por açordas (talvez a herança do meu pai que é alentejano???) então sou uma mulher feliz. A açorda de camarão que vos trago hoje é o exemplo perfeito de como fazer-me feliz à mesa deixar-me de estômago e alma consolados.

Ingredientes:

2L de Caldo de camarão (feito com 300g de camarão)
Sal
750g de pão alentajano
150g de cebola
2 dentes de alho grandes
1 folha de louro
2,5 dl de azeite
300g de tomate
Pimenta
Piri-piri
400g de miolo de camarão
1 molho de coentros frescos
1 gema de ovo


Preparação:

Faça o caldo, cozendo o camarão com 2 litros de água e sal. Descasque o camarão, reserve-o para decoração e volte a juntar as cascas do camarão ao caldo. Triture tudo com a varinha mágica. Coe o caldo por um passador de rede.
Quando o caldo estiver morno, amoleça o pão partido em pedaços pequenos nesse caldo.
Numa frigideira aqueça 0,5dl de azeite. Junte o miolo de camarão, tempere de sal e pimenta e deixe saltear até cozinhar. Retire do lume e reserve.
Num tacho largo. coloque a cebola e os dentes de alho picados, o louro e 2 dl de azeite.
Refogue um pouco a cebola e junte o tomate partido e deixe cozinhar.
Adicione o pão amolecido, tempere com sal, pimenta e piri-piri e deixe cozinhar um pouco, mexendo sempre. Junte o miolo de camarão salteado, e os coentros picados. Misture tudo. 
Ao servir decore com os camarões reservados do caldo e com uma gema de ovo que deverá desfazer e envolver em todo a açorda.

Bom apetite!!

domingo, 25 de março de 2018

TARTE DE COCO - Cantinho das cozinheiras

TARTE DE COCO





O coco. Aquele fruto que muitos adoram e tantos outros não apreciam. Por cá não gostamos... adoramos!! Consumimos de todas as formas e feitios: o próprio fruto ao natural, coco ralado, óleo de coco, leite de coco... até alguns cremes para o corpo são de coco! Nota-se muito que somos fãs?

De sabor e cheiro intenso, é um fruto cheio de propriedades benéficas para a saúde, considerado por muitos como um superalimento. Tem características bactericidas, antioxidantes, anti-parasitárias, hipoglicemiantes, hepatoprotectoras e imunoestimulantes. Além disso contém cálcio, magnésio, fósforo, ferro, sódio, selénio, iodo, zinco, flúor e manganês! Bem impressionante não é?

Desta vez, e a propósito do desafio mensal do grupo de facebook "Cantinho das Cozinheiras", saiu esta deliciosa Tarte de Coco. O blog sorteado em que nos deveríamos inspirar e escolher uma receita para reproduzir este mês foi o Guloso qb da talentosa Carla Ramalho. Escolhi esta Tarte húmida de coco e adorei!

Com apenas 4 ingredientes e sendo tão fácil de fazer, quem aprecia coco não pode mesmo deixar de fazer! Tenho a certeza que vão adorar! Por cá já saíram duas e desapareceram no mesmo dia em que foram feitas...


Ingredientes:
5 ovos
200g de coco ralado (deixar um pouco de parte para polvilhar no fim)
140g de açúcar
3 colheres (de sopa) de doce de chila 


Preparação:
Pré-aqueça o forno a 180.ºC.
Forre uma tarteira com papel vegetal. 
Com a vara de arames bata os ovos com o açúcar. Adicione o doce de chila e volte a bater. Por fim, acrescente o coco ralado (deixe um pouco de parte para polvilhar) e mexa até que fique incorporado. 
Verta para a forma e leve ao forno durante 20 minutos.
Retire do forno, deixe arrefecer e desenforme. Polvilhe com coco ralado.

Bom apetite!!



sábado, 24 de março de 2018

Visitas da Mãe Galinha - Polpetta - Almondegaria artesanal - Anjos

Polpetta - Almondegaria artesanal




Comida de conforto. Deliciosa comida de conforto. São estas as primeiras palavras que me surgem em mente quando penso no Polpetta, a almondegaria artesanal onde tivemos o gosto de jantar um destes dias.

A noite era de chuva e de frio. Entrámos no Polpetta e logo a simpatia com que fomos recebidos neste acolhedor espaço marcou a diferença.

A sala não é grande (recomendo que reservem) mas toda a decoração simples e familiar, e a musica de fundo, dão-nos a sensação de que estamos no sitio certo.








O menu é simples: almôndegas! E é também bastante interactivo, pois podemos escolher e formar um prato à nossa medida, escolhendo o tipo de almôndega (Novilho, frango, porco ou veggie) e o tipo de molho que queremos (Tomate, pesto, cogumelos ou iogurte) ou podemos optar pelas escolhas do chef, ou seja, por pratos já predefinidos pelo chef.

Mas vamos lá ao que interessa...

O que comemos?

Fomos sem a criançada, apesar de para a próxima os querermos levar, pois eles adoram almôndegas e assim que entrámos vimos que tinham cadeirinha para a mais nova.

Então para começar, pedimos umas Bolinhas de Alheira com maionese de marmelada. Para beber, ele pediu um copo de vinho tinto e eu um sumo natural de kiwi e abacaxi. Bem, o sumo era delicioso, mas as bolinhas de alheira... que maravilha!! Adorámos!! Estava aberta a expectativa, e se o restante seguisse os passos destas bolinhas sabíamos que iria ser uma boa noite.







Para prato principal optámos por caminhos diferentes. Eu quis fazer o meu próprio prato e ele optou por uma escolha do chef.

No meu caso, optei por almôndegas de frango com limão e mostarda, molho de cogumelos e pasta fresca para acompanhar. Gostei tanto! Os sabores tão bem equilibrados, tão "comida de conforto".




Já ele escolheu o Novilho menos clássico, que são almôndegas de novilho servidas com puré de batata e ervas, compota de cebola e queijo cabra. Com o tempero no ponto certo, foi uma escolha acertada.





E embora já estivéssemos cheios, muito cheios, não resistimos a pedir o Triffle de limão para terminar de forma perfeita a refeição. E assim foi!







E assim saímos do Polpetta, de barriga e alma cheia com a certeza que vamos voltar muitas vezes a este recanto. 

Tem ainda a vantagem de ter Zomato Gold e por isso termos o 2º prato de maior valor descontado da conta final!
Para usufruírem destes descontos num dos + de 800 restaurantes aderentesPodem fazer a vossa adesão em https://www.zomato.com/pt/gold

Mas há mais! Se colocarem o meu código, terão 25% de desconto na vossa adesão!!´
É só colocarem o meu código JOAN7301 no campo "Código de desconto" na altura de fazerem o pagamento.



Bom apetite!!


Onde fica?
Regueirão dos Anjos, 81, Arroios, Lisboa.

Facebook:
https://www.facebook.com/polpettarestaurante



Polpetta - Almondegaria Artesanal Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato
 

sexta-feira, 23 de março de 2018

SALAME DE CHOCOLATE

SALAME DE CHOCOLATE


salame de chocolate


Não há festinha que se faça cá pelas nossas bandas que não se faça um salame de chocolate. É a desculpa perfeita para comer esta gulodice que tanto agrada a miúdos e graúdos. 

Agora vem a minha pancada: faço sempre dois salames, um para adultos e outro para crianças. Porquê? Porque no dos adultos ponho "um cheirinho" de brandy ou rum... Sim, fica delicioso porque realça ainda mais o sabor do chocolate. Se quiserem uma dose extra de sabor e textura podem trocar uns 50g de bolacha por avelãs, nozes, amendoins ou amêndoas (também grosseiramente partidos).

É um doce super fácil de fazer, rápido e que fica delicioso. O único tempo que têm de reservar é o tempo de ir ao frio para solidificar. E, como a maioria de nós comia salame de chocolate na sua infância, traz sempre uma certa nostalgia. 

Aceitam uma fatia?

Ingredientes:
150g de bolacha Maria ou outra a vosso gosto (convém que seja clara para fazer contraste com o chocolate)
120g de chocolate negro (de boa qualidade)
55g de manteiga sem sal
55 ml de leite (usei leite de soja)

Preparação:
Coloque a manteiga e o chocolate negro numa taça e leve a derreter no microondas em ciclos de 15 em 15 segundos. Entre cada ciclo mexa com uma colher para ajudar a derreter. Pare quando tiver uma mistura lisa.
Junte o leite e o álcool (se for caso disso) e misture bem.
Coloque as bolachas num saco de plástico, feche e bata com um rolo da massa para desfazer de forma grosseira as bolachas. Junte as bolachas ao preparado de chocolate e envolva bem.
Disponha uma folha de papel de alumínio numa bancada lisa e deite a mistura no mesmo. Enrole de forma a fazer um rolo. 
Leve ao frigorífico até solidificar. Quando for servir, retire o papel de alumínio.

Bom apetite!! 



terça-feira, 20 de março de 2018

MASSA DE PEIXE COM POEJOS

MASSA DE PEIXE COM POEJOS



Poejos para mim remontam ao Alentejo. As minha pupilas gustativas até saltam só de pensar nas açordas e nas sopas de cação que por la comemos. E o licor de poejos? Humm... delicioso!

Porém, percebi já há algum tempo, que aqui pelos arredores de Lisboa não é fácil de encontrar. Na praça onde costumo ir aos sábados de manhã lá encontro por vezes e, quando assim é, trago logo um molho comigo. Tenho de pensar seriamente em plantar esta erva aromática na minha mini hortinha que tenho na varanda.

Desta vez, e tendo sobrado de uma deliciosa sopa de cação, juntei os poejos a uma massa de peixe. Ficou com um sabor intenso e fresco. Maravilha!


Ingredientes:
1 cebola média
Azeite
1 Tomate maduro grande

Poejos
Sal

Óregãos
1 colher de café de açúcar
Peixe à escolha (usei tintureira)

Massa cotovelos



Preparação:
Para esta receita precisamos de 3 bicos de fogão a trabalhar em simultâneo (pelo menos para fazerem a versão rápida!).
Então, num dos tachos vamos colocar água e sal para quando estiver a ferver colocarmos o peixe a cozer.
No segundo tacho vamos colocar água e sal e, quando ferver, colocamos a massa a cozer.
No terceiro tacho, forramos o fundo com azeite e juntamos a cebola e o tomate picados grosseiramente. Polvilhamos com óregãos e uma colher de café de açúcar para cortar o ácido do tomate.
Deixamos tudo cozer.
Quando o peixe estiver cozido, partimos em pedaços mais pequenos e reservamos.
Quando a massa estiver cozida, escorremos e reservamos.
Quando o tomate e a cebola estiverem praticamente desfeitos, desligamos e trituramos bem com a varinha mágica.
Vamos então à "montagem"! Num tacho colocamos o molho triturado e ligamos o lume. Adicionamos o peixe, envolvemos bem no molho e adicionamos a massa. Voltamos a envolver novamente para a massa ganhar o molho e juntamos os poejos picados.


Bom apetite!!

sábado, 17 de março de 2018

Visitas da Mãe Galinha - O WATT - Cais do Sodré

O WATT





O edifício da EDP e um restaurante que promete as melhores energias à mesa. Juntem-lhe o facto de ser um restaurante do mega talentoso chef Kiko e já podem imaginar a maravilha que é O Watt.

No que difere O Watt dos outros restaurantes do chef Kiko? Aqui, o conceito passa por cozinhar sem gorduras e sem açúcares. A primeira ideia que podem ter é que, num país com uma gastronomia tão rica como a nossa, comida sem açúcar ou gordura pode ser enfadonha. Mas desenganem-se, pois o chef Kiko, mais uma vez, tornou o que poderia ser banal em fantástico.

Vamos então ao espaço. Entrada charmosa, com recepção e bar, onde começamos por um Ampere d'O Watt, com gin, coentros e gengibre. Fresco e delicioso!


 



Seguimos por um corredor onde conseguimos ver a cozinha e que nos leva a uma elegante sala. 


  



Se ficámos encantados com o espaço, o melhor ainda estava para vir... a comida.

Comecemos então pelas entradas. A primeira, o Tomate Bio com Burrata, um tomate biológico em texturas burrata, manjericão e caviar balsâmico. Se estava bom? DIVINAL!




A segunda entrada, uma Omelete de claras com lavagante, com caril, coco e espargos. Maravilhoso...





Para terceira e ultima entrada, Cogumelos e couve-flor, com vários cogumelos, espuma de couve-flor, avelãs e gema trufada... ai... só de pensar fico logo com vontade de repetir!




Como pratos principais começámos por uma Espetada de polvo à galega que acompanhava com cevadinha com camarão e mexilhão e ervilha torta. O polvo super tenro, com um toque perfeito de picante.





Seguiu-se o Atum com Quinoa, um prato lindo com atum, beterraba, salada de quinoa e cajú. Atum braseado de forma perfeita!




 Por último, mas não menos fantástica, a sobremesa: Chocolate, abóbora e pevides. Estranho? Nada! Esta panna cota de chocolate, abóbora grelhada e gelado de pevides foi a forma perfeita de terminar a refeição. Sim, sem açúcares adicionados!





Resumindo, uma refeição, ou melhor dizendo, uma experiência fantástica onde o atendimento e o cuidado com o cliente é notório deste o momento em que entramos até que saímos, sem que seja demasiado formal e impessoal. Muito pelo contrário, fomos atendidos com simpatia e boa disposição. A cereja no topo do bolo? A simpática presença do chef Kiko que nos brindou com a sua simplicidade e nos falou um pouco sobre este novo espaço. Top!!

Agora é ir visitar os outros espaços deste talentoso chef que nos deixou rendidos à sua criatividade.



Onde fica?
Edifício Sede EDP, Avenida 24 de Julho, 12, Cais do Sodré, Lisboa

Facebook:

https://www.facebook.com/OWattChefKiko/


O Watt Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato